Diálogo Interativo

Espaço para troca de ideias sobre diversos assuntos, com destaque para atualidades, comunicação, política, educação e relações humanas.

28 abril, 2006

De olho em outubro

As peças do jogo pela corrida presidencial começar a se movimentar de fato no tabuleiro. A cinco meses das eleições, é hora de o eleitorado prestar atenção nos candidatos e nos seus projetos. E olhem que os votos serão para cinco cargos: deputado federal, deputado estadual, senador, governador e presidente. Aliás, você lembra em quem votou para deputado em 2002?
Vamos dar uma rápida passada no quadro, por ordem presumida de posição nas pesquisas.
LULA - ainda não assumiu publicamente a condição de candidato, mas todo mundo sabe que é. Tem a máquina na mão e é favorito. Porém, ainda enfrenta fogo cerrado da oposição por conta das lambanças aprontadas por alguns auxiliares. Membros do PT e da base aliada deram muito combustível para a oposição fazer fogueira.
ALCKMIN - o ex-governador ainda não decolou. Deve melhorar um pouco sua posição na preferência do eleitorado em função da propaganda do PSDB que está indo ao ar. Enfrenta problemas envolvendo a administração da Nossa Caixa, banco do Estado de São Paulo, e problemas com o PFL, que trava uma guerra interna para escolha do vice e para dissipar rumores gerados pelo prefeito do Rio, Cesar Maia, de que o partido poderia não se aliar ao PSDB.
GAROTINHO - Entendo que a candidatura do ex-governardor do RJ já nasceu morta. Ainda mais depois de denúncias de que ele teria recebido dinheiro da empresa de um assaltante para a campanha da sua pré-candidatura.
ITAMAR - O ex-presidente diz que também é pré-candidato e certamente será o fiel da balança de todo o processo. Todo mundo vai ficar esperando-o decidir o que vai fazer. E Itamar é conhecido pela sua demora em tomar decisões. Faz de propósito porque sabe que interfere no processo.
HELOÍSA HELENA - O PSOL quer "chapa pura" para disputar a Presidência, enquanto o PSTU de José Maria de Almeida reivindica a vaga. A aliança ameaça fazer água.
ENÉAS - O deputado do Prona, agora sem barba, vai disputar de novo o Planalto. Ficou apagado por todo o seu mandato, apesar da votação gigantesca que obteve em 2002 — mais de 1,5 milhão de votos.
Em outro texto, falarei sobre as eleições para o Legislativo, tema que me preocupa muito.
Bom fim de semana.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home