Diálogo Interativo

Espaço para troca de ideias sobre diversos assuntos, com destaque para atualidades, comunicação, política, educação e relações humanas.

14 junho, 2006

A claque de Alckmin

Do blog de Josias de Souza, da Folha de S.Paulo

Para presidente da República, o sanduíche!
Molière (1622-1673) ensinou numa de suas memoráveis peças (Anfitrião) que "todos os discursos são tolices, quando ditos por gente sem brilho; e seriam palavras deliciosas se fossem ditos por gente ilustre".
Na convenção que ratificou de Geraldo 'chuchu' Alckmin como candidato do PSDB à presidência da República, o mais saboroso não foi o discurso do candidato. Foi o sanduíche. Veja abaixo o que informa a Folha (para assinantes):
"A maioria das pessoas que empunhavam bandeiras de Geraldo Alckmin na convenção admitiu ter ouvido o nome do candidato tucano à Presidência pela primeira vez. Levadas a Belo Horizonte de ônibus, disseram que a viagem foi motivada pelas promessas de lanche grátis e de emprego na campanha.
A distribuição dos lanches, que começou às 9h, por pouco não causou um grande problema: ela foi interrompida por volta das 11h, para que as pessoas voltassem ao pavilhão para acompanhar os discursos. A paralisação gerou reclamações, xingamentos, empurra-empurra e bate-boca entre os organizadores. Após 30 minutos, a distribuição dos lanches foi retomada.
Segundo a empresa Anjos da Guarda, que prestou segurança ao evento, a convenção reuniu 6.000 pessoas. O presidente do PSDB mineiro, Nárcio Rodrigues, falou em 15 mil. O custo das convenções nacional e estadual foi de R$ 1 milhão, segundo o PSDB.
Os ônibus fretados pelos diretórios tucanos -a reportagem contou cerca de 200- começaram a chegar a Belo Horizonte às 8h. Uma hora depois teve início a convenção estadual do PSDB, que referendou o nome do governador Aécio Neves à reeleição.
Foram confeccionadas 10 mil bandeiras com o rosto de Alckmin. A Folha ouviu pelo menos 20 pessoas que carregavam essas bandeiras nas filas das barracas que distribuíam feijão tropeiro, sanduíche de pernil, espetinho de porco, cachorro-quente e refrigerante. Nenhuma conhecia Alckmin. Esse "desconhecimento" também era visível nas faixas penduradas no local, que grafavam seu nome de várias formas.
'Eu não o conheço nem nunca vi na TV', disse Laura Gomes, 43, atraída ao local pela promessa de trabalho. 'Foi a primeira vez agora', disse Nilvânia da Silva, 34. Os adolescentes Shirlene Basílio, 17, e Jéssico Emílio Simão, 21, afirmaram que, além dos sanduíches, receberiam R$ 10 cada um na volta para casa. O presidente do PSDB mineiro negou o
pagamento: 'O PSDB ofereceu lanche e transporte, não existe nada sobre pagamento'".

Passei pelo Expominas, onde foi realizada a convenção, no domingo passado de manhã. De fato, havia dezenas de ônibus chegando ao local cheios de pessoas com camisetas e bandeiras do PSDB.
Se é assim que Alckmin planeja chegar à Presidência...

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home