Diálogo Interativo

Espaço para troca de ideias sobre diversos assuntos, com destaque para atualidades, comunicação, política, educação e relações humanas.

16 novembro, 2006

Obsessões que matam

Embora o assunto esteja cada vez mais banal, fiquei estarrecido com a notícia da morte da modelo Carol Reston. Não preciso entrar em detalhes sobre o fato em si, já que toda a mídia está falando a respeito. O que me chamou a atenção neste e noutros casos do gênero é o fato de uma obsessão levar a pessoa à destruição.

A obsessão vai mudando os parâmetros e a gente começa a perder o fio da meada. As bases de comparação ficam cada vez mais "contaminadas" pelos que os outros dizem e fazem. Existe até comunidade no Orkut que incentiva a "esqueletice" entre as operárias da moda.

E não sejamos hipócritas: todos nós temos alguma obsessão, em maior ou menor grau, temporária ou permanente. Seja na busca do prazer ou do reconhecimento.

7 Comments:

  • At 10:22, Blogger Carmen said…

    João Flávio:

    Faço votos sinceros de que morram todas elas. Morram as modelos e esse padrão de beleza imbecilóide que só serve para oprimir as mulheres e deixá-las lerdas de tanta fome. Afinal, mulher bem alimentada pensa melhor, né? Ou você acha coincidência o fato dessas meninas serem tão obtusas?

    Não tenho dó nenhum dessas pragas. Tive dó da mãe ontem chorando no Jornal da Globo, lamentando a própria impotência diante da doença (e burrice) da filha.

    Sei que peguei pesado... :))) ... me desculpe, mas esse blog é democrático, né? (Se fosse um comentário desse nível no meu blog eu deletaria na hora... :))))))

     
  • At 10:42, Blogger João Flávio Resende said…

    Carmen,

    Vixe Maria!! Foi o comentário mais rápido desde que criei o blog!

    Não vou deletar. Pelo contrário. Considero a ditadura da magreza um dos maiores fatores de opressão à mulher, e um dos mais perigosos: mata gradativa e silenciosamente, no sentido denotativo e em todos os conotativos. Imbecilóide é pouco.

    Obsessão, seja qual for, mata.

    Abraços.

    PS: Pela primeira vez, vejo alguém conjugar corretamente o substantivo "dó". Gastou de novo!!

     
  • At 17:37, Blogger Marco Aurélio said…

    João Flávio

    Tenho uma irmã que está com essa mania doentia de emagrecimento. Estou um pouco preocupado. Quem sabe depois desse episódios ela "se liga"!

    Um abraço

     
  • At 18:07, Blogger João Flávio Resende said…

    Fala, Marco!

    Infelizmente precisam ocorrer mortes para quem ficou vivo tomar jeito. Acho que vale uma boa conversa com ela.

    Abraço.

     
  • At 21:10, Anonymous Anônimo said…

    O problema maior é quando fazemos ou nos tornamos parte positiva ou negativa de obsessões alheias.
    Quando se reconhece uma obsessão já se tem um passo dado para o seu fim.
    Mas se é vítima de obsessão alheia sem nem se ter consciência disso, é no mínimo problema.
    Eu por exemplo não considero meus desejos obsessivos...
    Obsessão é doentio... desejos são louváveis...
    Obsessão deixa as pessoas cegas...
    Desejos continuam na lucidês.
    Obsessão alheia então... essas são piores... porque não se tem controle sobre elas quando nos envolvem...
    E quando acontecem com pessoas mesquinhas... aí meu amigo... os obsessivos são capazes de qualquer coisa em troca da realização das suas vontades...
    Obsessão para mim é sinônimo de egoísmo. Os egoistas não enxergam os outros. Eles são egocêntricos e acham que tudo circula em torno de si.
    Quem é egoísta, egocêntrico e obsessivo é capaz de destruir a própria vida em função de suas obsessões. Como no caso da modelo. A vida dos outros também.

     
  • At 09:15, Blogger João Flávio Resende said…

    Caro Anônimo (ou cara anônima),

    Concordo em gênero, número e grau.

     
  • At 15:09, Blogger Carmen said…

    Anônima falou e disse.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home